Contranotificação extrajudicial: passo a passo para fazer uma

A contranotificação extrajudicial é uma ferramenta usada para contestar alegações feitas por outra parte. Conheça o passo a passo para fazer um modelo eficaz!

Compartilhe esse post

Contranotificação extrajudicial: entenda como fazer uma de forma eficiente!

Contranotificação extrajudicial: passo a passo para fazer uma
Digamos que você tenha recebido uma notificação extrajudicial, mas não concorda com o que é alegado no documento. O que fazer? É aí que entra uma contranotificação extrajudicial.
 
Essa é uma importante ferramenta para apresentar a sua própria versão de um fato e explicar o seu posicionamento.
 

Quer entender melhor para que ela serve e conferir o passo a passo de como elaborar uma? Continue a leitura!

O que é uma contranotificaçao extrajudicial?

A contranotificação extrajudicial é um modelo de resposta formal dirigida a quem emitiu uma notificação extrajudicial. 
 
Geralmente, essa notificação é enviada quando uma parte alega que seus direitos foram violados por outra parte e solicita alguma ação para remediar a situação.
 
Sendo assim, um modelo de contranotificação é usado em resposta para contestar as alegações feitas.
 
Por exemplo, suponha que você tenha recebido uma notificação de uma empresa que alega que você está em inadimplência. 
 
Neste caso, é possível enviar uma contranotificação como um tipo de comunicado formal para contestar a alegação, explicar equívocos na cobrança e apresentar evidências de que o pagamento foi feito.
 

Para que serve a contranotificação?

As principais finalidades da contranotificação extrajudicial são:
 
  • contestar alegações equivocadas;
  • mostrar outra versão dos fatos apresentados;
  • procurar resoluções amigáveis;
  • resolver situações de forma menos burocrática;
  • prevenir ações judiciais.
 
Em suma, a contranotificação serve como uma ferramenta para mostrar os interesses da parte que recebeu a notificação e resolver disputas de maneira eficiente.
 

Modelo contranotificação extrajudicial: passo a passo

Existem vários modelos de contranotificação extrajudicial, como de cobrança, propriedade intelectual, rescisão de contrato e outros.
 
Mas, no geral, todos seguem uma estrutura padrão que visa garantir a Validade Jurídica e eficácia na defesa dos interesses da parte que a emite.
 
Confira o passo a passo de como elaborar uma contranotificação:
 

Passo 1: identifique as informações necessárias

Antes de redigir a contranotificação, certifique-se de ter todas as informações relevantes à mão, como:
 
  • notificação extrajudicial original;
  • evidências e comprovantes;
  • legislações que fundamentam a sua resposta;
  • demais documentos relacionados ao assunto.

Passo 2: redação da contranotificação

Contranotificação extrajudicial: passo a passo para fazer uma
O primeiro passo na redação da contranotificação é identificar as partes envolvidas, a data, local e os detalhes da notificação extrajudicial recebida.
 
Depois, é preciso elaborar a contestação das alegações que foram feitas com argumentos sólidos e evidências que sustentam o seu posicionamento.
 
Por último, você deve apresentar possíveis soluções para o problema e, de preferência, mostrar flexibilidade para resolver a questão de um jeito amigável.
 
Lembre-se de manter uma escrita objetiva, formal e respeitosa!
 

Passo 3: envio e acompanhamento

Antes de realizar o envio, faça uma revisão detalhada do documento para assegurar que ele está conciso e completo.
 
Opte por um meio de envio confiável e que permita rastreamento, como a via eletrônica.
 
Além disso, considere utilizar recursos como o Aviso de Recebimento (AR), que permite confirmar o recebimento da contranotificação pela outra parte.
 
No mais, matenha os registros de todas as comunicações e esteja aberto para o diálogo.
 

Sou obrigado a responder uma notificação extrajudicial?

Não, você não é obrigado a responder uma notificação extrajudicial. Contudo, ignorar esse documento pode servir como uma admissão implícita das alegações feitas contra você e um motivo para abrir um processo judicial.
 
Neste sentido, deixar de responder a notificação pode representar a perda de uma oportunidade de resolver a disputa de maneira amigável, bem como evitar custos associados a questões legais.
 
Além disso, a falta de uma resposta pode gerar uma escalada do conflito, o que prolonga a resolução do problema e prejudica ambas as partes.
 
Logo, é recomendado responder qualquer notificação extrajudicial recebida para procurar uma resolução colaborativa e eficiente.
 

Perguntas frequentes sobre notificação extrajudicial

Quando se trata de notificações extrajudiciais, surgem frequentemente dúvidas sobre os prazos de resposta, a necessidade de envolvimento de advogados e outros aspectos relevantes.
 
Logo abaixo, vamos responder as mais comuns para você:
 

Qual o prazo para responder uma notificação extrajudicial?

Legalmente, não há um prazo definido para responder uma notificação extrajudicial. Em muitos casos, ele é definido pelo próprio notificador.
 
Entretanto, vale a pena agir assim que tomar conhecimento de uma notificação para evitar possíveis consequências.
 
Caso o prazo não seja estabelecido pelo notificador, é recomendável responder dentro de um prazo razoável para garantir uma comunicação eficaz e evitar a escalada do conflito.
 
Normalmente, prazos de 10 a 30 dias são considerados aceitáveis, mas isso pode variar dependendo das circunstâncias específicas do caso.
 

Precisa de advogado para responder à notificação extrajudicial?

Contranotificação extrajudicial: passo a passo para fazer uma
Não é necessário ter um advogado para responder a uma notificação extrajudicial, mas é altamente recomendável contar com a orientação de um profissional jurídico.
 
Isso porque um advogado é capaz de oferecer uma avaliação precisa da situação e auxiliar na construção de uma contranotificação que protege os seus direitos e contém a base legal necessária.
 
Outro detalhe é que um advogado pode negociar em seu nome e buscar uma solução favorável para a disputa, o que ajuda a evitar as chances de processos judiciais mais complexos e burocráticos.
 
Portanto, embora seja possível responder a uma notificação extrajudicial por conta própria, a expertise legal de um advogado pode ser inestimável para garantir o melhor resultado possível em situações mais complicadas.
 

Saiba como o AR Online pode te ajudar!

O AR Online é uma solução prática e moderna de envio de notificações digitais com Validade Jurídica e eficiência.
 
Por meio da nossa plataforma, você pode notificar quem quiser via AR-Email, SMS, AR-Voz e AR-WhatsApp.
 
Todos os nossos procedimentos são previstos pela Medida Provisória 2.200-2/2001, que instituiu a Infraestrutura de Chaves Públicas Brasileira – ICP Brasil. 
 
Isso significa que seguimos rigorosamente as diretrizes estabelecidas por essa legislação, a fim de garantir a segurança, autenticidade e integridade dos documentos e transações realizadas via eletrônica.
 

Conclusão

Em resumo, a contranotificação extrajudicial representa uma resposta formal à notificação originalmente enviada por meio de comunicação extrajudicial.
 
Essa ferramenta é fundamental para contestar alegações, apresentar argumentos e evidências contrárias às alegações feitas e, muitas vezes, propor soluções alternativas para resolver disputas de maneira amigável. 
 
Quando for elaborar um modelo, lembre-se de seguir o passo a passo que ensinamos neste conteúdo.
 
Se quiser ainda mais facilidade, você pode contar com os modelos salvos previamente disponíveis na plataforma do AR Online!

Inscreva-se na nossa Newsletter

Receba atualizações e aprenda com os melhores

Mais posts

Abrir conversa
1
Precisa de ajuda?
Olá! Podemos te ajudar?